Páginas

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Tempo Quente


O poema Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, é uma das obras que mais li na vida. Quando adolescente, na minha insanidade, de tão apaixonado tentei decorá-lo. Considerando o tamanho da obra, creio que fui muito bem ao conseguir recitar “de cabeça” algumas páginas do livro. Mas é óbvio que decorar tudo era tarefa praticamente impossível. Hoje me dou por satisfeito de já tê-lo lido centenas de vezes. 
Esses dias descobri uma maravilhosa versão do poema em desenho animado, e imediatamente enxerguei também a música escondida nas paisagens. Sem perder tempo, montei um video com a minha composição “Tempo Quente” e algumas imagens selecionadas do poema. Nos violões, eu e meu amigo Marcelo Barbosa. Segue abaixo o video:



4 comentários:

Neto Geraldes disse...

Arte da melhor qualidade para ver e ouvir. Parabéns

Lena disse...

Não sei o que dizer além de SENSACIONAL!

Bjs

Guilherme Silva disse...

Valeu. Ficou muito bom. Combinação perfeita de imagem e música.

Anne disse...

Belíssimo Osias, Obrigada por compartilhar! Li a primeira vez há alguns anos, junto com Vidas Secas e tenho decorado até hoje: "E se somos severinos iguais em tudo na vida, morremos de morte igual, mesma morte severina: que é a morte de que se morre de velhice antes dos trinta, de emboscada antes dos vinte, de fome um pouco por dia". O álbum do Chico também é demais, tenho em vinil, uma obra prima!