Páginas

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Namoro

Te amo
porque absolutamente inevitável.

Assim como
esse copo de whisky sem gelo
ou a leitura de Stendhal.

Contudo, não se iluda,
nosso amor não é o responsável
pelo brilho das estrelas
ou pelo movimento dos oceanos.

Mas deixará alguma marca
na longa linha do tempo.

Como as fezes ácidas
desse pássaro pestilento
que ora vejo cagar
no alumínio frio de nossa janela.



3 comentários:

Mario Balieiro disse...

Espetacular! Sem pieguice barata! "Fezes ácidas desse pássaro pestilento".

Lena disse...

Muito bom! Incrível !

Bjs,
Lena

Jesualdo disse...

Caro amigo Osias, como já te disse algumas vezes: sua loucura é brilhante!