Páginas

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O Arco do Pontão!

Mais uma da série de horrores que me intrigam aqui em Brasília. Esses dias, passando pela ponte  Honestino Guimarães, ou ponte do Pontão, como é mais conhecida, percebi que estava diante de um enigma:
- Alguém pode me explicar o que significa aquele arco medonho instalado na entrada do Pontão? Vamos recapitular: o Arco de Constantino, em Roma, é um arco triunfal nas proximidades do Coliseu, e foi erigido para comemorar a vitória de Constantino sobre Maxêncio na Batalha da Ponte Mílvio, 312 AD.  O Arco do Triunfo é um monumento localizado na cidade de Paris, construído em comemoração às vitórias militares de Napoleão Bonaparte. E o Arco do Pontão? Teria sido erigido em homenagem às incansáveis lutas dos nossos Imperadores Joaquim Roriz, Agnelo Queiroz e José Roberto Arruda contra a corrupção?
Como se aquele amontoado de cimento sem propósito não bastasse, ainda colocaram uma bola de aço bem diante do portal. Mais uma bolota, da mesma série que assombra diariamente, e em todas as fotos, o Memorial JK. Que me perdoem as noivas, pois tenho visto que elas sentem uma estranha atração pelo inexplicável monumento, mas se eu pudesse levaria ao óbito aquele monstro.
E que o bom Deus nos proteja das boas intenções estéticas que ainda virão por aí! 

5 comentários:

Anônimo disse...

O Arco do Pontão, sob meu olhar crítico, consegue ser mais bonito que aquele Complexo Cultural da República, com o horrível Museu, que fica na Esplanada.
Enfim, como diz você..."A vida é realmente bela!"

Mario disse...

Esse arco é horroroso, cafona, brega e outras coisas mais!

Zecca Franklin disse...

Realmente meu caríssimo Canuto,
Percebo que tens toda a razão ao apontar essas atrocidades enigmáticas contra o bom gosto da arquitetura da Capital que tanto vivemos. O que acha dos Novos prédios públicos com vidro espelhado que parecem que estão substituindo a arquitetura tradicional da cidade?
Zecca Franklin

Osias Canuto disse...

São todos, cansativamente iguais, Zecca. E vão se multiplicando numa tediosa falta de criatividade.

Anônimo disse...

Pô, gente! Ou melhor, oxente!!! Foi construído simplesmente para servir de cenário para compor ensaios fotográficos para socialites, noivas, noivos, pessoas que freqüentam, artistas (que no Brasil existem muitos!!!), advogados, cabeleireiros, cafonas de toda ordem e etc., que não tiveram ainda a oportunidade de saírem fotografados na Ilha e no Castelo de Caras! Newton Guimarães

Post Scriptum. Não percam em breve o grande festival brasiliense de música Relinchando no Cerado