Páginas

sexta-feira, 22 de julho de 2011

O Terremoto no Japão Medido em Centímetros

Observem bem a foto ao lado, tirada após o terremoto que devastou o Japão! Agora me digam: é ou não é assombroso? Falo da camada de asfalto. Um escânda-lo! Ao vê-la me senti ultrajado. Quanto desperdício! Quanta irresponsabilidade! Com o asfalto que podemos ver nesta pequena foto faríamos quilômetros de estradas aqui no Brasil. A transparente convergência de interesses entre bem intencionados políticos e administradores, e ciosos engenheiros e fiscais nos permite construir nossas maravilhosas  estradas com apenas 1/5 desse asfalto. 
Dizem que a espessura mínima de asfalto recomendada aqui no Brasil é 2,5cm, mas, considerando o que vejo diariamente, tenho certeza que nossos dignos administradores fazem esse asfalto com algo em torno de 1cm. E o mais incrível é a qualidade deste assombroso centímetro. Fica aí um alerta aos governantes japoneses: se continuarem com esse uso desleixado do dinheiro público, como podemos constatar na foto, jamais conseguirão tornar-se um país de primeiro mundo! 
Depois dessa imagem desoladora fiquei pensando: se o terremoto no Japão foi capaz de destruir esse nababesco asfalto, o que aconteceria cá por estas bandas? Que Deus tenha piedade de nós e jamais nos traga um terremoto! A vida é realmente bela!

8 comentários:

Anônimo disse...

Osias, sim, o Brasil carece de um asfalto de melhor qualidade, entretanto, aqui são mais de 100.000 km de asfalto. Acho que no japão não deve ter 10% disso. Não é fácil....
Marcelo Fenoll.

marcelo disse...

Não entendi o comentário do Marcelo. Quer dizer que o problema do Brasil é ser grande demais? Se for isso, meu amigo, nada vai funcionar jamais. Alemanha e EUA são países enormes com asfalto de muita qualidade. O problema aqui é roubo mesmo.

João disse...

Também não concordo com o Marcelo! Existe uma matéria da Isto É que divulga que peritos avaliaram recentemente os trabalhos feitos nas nossas estradas e constataram que 50% do dinheiro é desviado das obras para o bolso dos espertos. Se não fosse isso teríamos asfalto igual ao dos Japoneses, dos americanos e dos Alemães. Nada a ver com o tamanho do país e a quantidade de estradas.

Anônimo disse...

Devo acrescentar que, além do "uso racional" do asfalto no Brasil, há também o "uso racional" da capacidade técnica. Quando passo pela EPTG, uma curiosidade atroz se apresenta: qual foi o mestre-de-obras (caríssimo) que a projetou? Será que este(s)indivíduo(s)sabe(m)o que significa escoamento?
A propósito o "anônimo" traça uma interessante triangulação entre Qualidade x distância x ética.
Paulo

Anônimo disse...

O dinheiro para um bom asfalto em Brasília eu sei aonde foi parar... Na casa dos Roriz, Arruda, Abadia, Rosso e etc Mesmo aqui tendo uma malha viária pequena,de nada adianta pois o roubo é bem GRANDE! Nosso problema é que 100.000Km de dinheiro são desviados e só nos restam 10% disso para asfaltar, Marcelo!

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=xkxi0-0fnb8&feature=channel_video_title
asfalto com escoamento! hheheh

Anônimo disse...

Os brasileiros tem memória curta, vamos imaginar o numero da população no brasil, e todos são compradores no comercio brasileiro, pagamos impostos de cada produtos que compramos,seja na loja, supermercados, farmacias etc, agora imagina quantos trilhões vão para os cofres publicos que são cobrado de cada mercadoria. É tanto dinheiro que ninguem tem noção. Não entendo como o brasil tá tão falido pra deixar todas as estradas e rodovias numa buraqueira. Ai tem coisa muito grande.

Rafael disse...

Osias!
olha essa!
Já reconstruiram a pista, levaram uma semana.

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/internacional/2011/03/24/japao-reconstroi-em-seis-dias-estrada-destruida-pelo-terremoto.jhtm